Excerto da entrevista de Fernando Mendes ao I

III – O FC PORTO
Lembro-me, lembro-me. Foi para Inglaterra, para o Middlesbrough.
Exacto. E o Bobby Robson queria pôr o Paulinho Santos no lugar do Emerson [a trinco] e precisava de um lateral-esquerdo. O Belenenses devia-me não sei quantos meses de contratos e portanto eu ficaria livre. Só que ainda assim o Vallecano teria de pagar 120 mil contos por mim. Sucede que eles queriam pagar em letras e o Belenenses desconfiou e levou o assunto à Liga de Clubes. E quem era o presidente da Liga na altura?
Pinto da Costa.
Sim. E conversa puxa conversa apareceu o nome de Fernando Mendes no Futebol Clube do Porto.
E assinaste contrato nas Antas, com os espanhóis numa sala ao lado, certo?
É verdade, é verdade. Supostamente era para tratarem disso e às tantas o Pinto da Costa diz: “Então e se eu vos der o mesmo dinheiro ele vem para aqui?” E eu assinei com os outros gajos do outro lado da sala! E sabes o que é que foi engraçado no meio disto tudo?
Conta.
Os tipos do FC Porto tinham a certeza que eu ia assinar por eles! E então estava a falar com o Pinto da Costa, o Reinaldo Teles, o João Alves [na altura treinador do Belenenses] e o presidente do Belenenses. E não me esqueço do que o Pinto da Costa me disse: “Então e vais jogar para onde?” E eu: “Vou para o Rayo Vallecano.” E ele: “Rayo quê? O que é isso?” E eu: “É ali em Espanha.” E ele: “Se é para jogares em Espanha vais jogar no Chaves que é praticamente a mesma coisa.” [gargalhada] E eu: “Para o Chaves não, que pelo menos em Espanha ainda vou ganhar algum.” E ele: “Então e se eu te der o mesmo que eles, vens para aqui?” Ó pá, tu acreditas que eles, do FC Porto, já tinham o contrato todo prontinho? Com tudo! Com o nome do meu pai, da minha mãe, com a minha morada… Só faltava a minha assinatura! Os contratos ainda feitos naquelas folhas roxas, lembras-te? E eu que tinha ido ao Norte só para receber um prémio em Espinho [melhor lateral esquerdo de 1995/96 para o “Público”] e os directores do Rayo Vallecano lá ao lado… Acho que as senhoras da limpeza foram lá varrer aquilo e perguntar aos gajos o que é que eles andavam ali a fazer [gargalhada].
Foi uma operação à FC Porto?
Eh pá, é fantástico. Quando dizemos que o Porto é diferente dos outros clubes é porque é mesmo. Eles quando metem na cabeça que um jogador vai representar o Futebol Clube do Porto, o jogador vai mesmo representar o Porto. É um respeito… Quando estás cara a cara com o Pinto da Costa… É carisma, é simpatia e inteligência superior. Ele é um ser de inteligência superior.
Pinto da Costa conquistou-te?
Completamente. E eu também tive sorte: foram três anos excelentes.
Mas sendo tu um rebelde não sofreste com aquele controlo?
Eles são diferentes e apostam muito nas regras e temos de cumpri-las. O lema no Porto é este: aos jogadores não falta nada portanto a exigência é máxima.
Então mas e o controlo?
É normal porque é um meio mais pequeno. Íamos tomar o pequeno-almoço juntos, íamos juntos passar férias, saíamos nos mesmos sítios. Portanto, quando um de nós não era visto nesses lugares, desconfiava-se.
Foste alguma vez apanhado a pôr o pé em ramo verde?
Fui, fui. Logo, mal cheguei, numa discoteca na Póvoa do Lanhoso. Mas também foi mais um mal-entendido que outra coisa. Foi o lançamento de um disco do Neno – lembras-te do Neno?
Lembro-me, o guarda-redes/cantor.
Isso. O Neno convidou-me e eu estive lá uma hora, só mesmo para dar um abraço ao gajo que tinha jogado comigo no Benfica – percebes a ideia? Eu não estava era habituado àquelas regras porque só estava no FC Porto há uma semana. Mas fui logo castigado! Eu e o Edmilson – lembras-te do Edmilson?
[gargalhada] Lembro-me, lembro-me.
Eh, eh, Eh. Pois, então ficámos os dois castigados e estivemos para ir ambos embora!
E quem é que vos segurou?
O Aloísio, o Jorge Costa e o João Pinto: os capitães. Explicaram a quem deviam que eu estava há pouco tempo no clube. E digo-te que foi remédio santo! Nem café vinha beber à rua depois disso! Porra! [gargalhada]
E naquela altura em que dizem que mordeste um bombeiro num Estrela da Amadora-FC Porto?
O FC Porto aí mexeu-se com o apoio jurídico mas publicamente não disseram nada. Até achei natural, fui uma espécie de cobaia. Havia aquele programa na SIC, os “Donos da Bola”, que era uma perseguição ao Porto. Para eles, éramos beneficiados. Enfim. Foi naquele jogo em que o Jorge Costa deu uma chapelada num polícia que até lhe saltou o boné! Mas pronto. Houve um bombeiro que apresentou queixa contra mim, dizendo que lhe tinha mordido na cara. Eh pá, eu fiz muita porcaria quando joguei à bola. Muita mesmo. Mas sempre admiti tudo o que fiz. E se esse tal bombeiro me aparecesse à frente agora, juro-te que passaria por ele sem dar por nada. Não lhe toquei, Pedro. E até tinha dois polícias como testemunhas minhas. Voltando atrás, fui uma espécie de bode expiatório. Mas já passou.
E a SIC tinha razão? O FC Porto era beneficiado? E o Sporting e o Benfica?
Vamos lá ver uma coisa: os árbitros estão muito mais expostos nos jogos em que alinham os grandes, não é? Mas tenho a certeza que chegas ao fim de cada temporada e são os três favorecidos em alguns lances – não tenho a mínima dúvida. Marcas mais penáltis contra à Naval do que ao Benfica, ao FC Porto ou ao Sporting. É assim que funcionam as coisas. E se calhar os jogadores dos três grandes também são mais protegidos em relação a cartões amarelos e vermelhos.
Mas sentiste-te favorecido?
Eh pá… Nota-se que há um, digamos, apoio a esses clubes. Bom, mas no FC Porto tínhamos uma equipa fabulosa e praticamente não precisávamos de ajudas de ninguém. Éramos bons. Mas virando o bico ao prego, jogar num clube menor contra esses três, nota-se que somos prejudicados.
Por falar em Sporting e FC Porto e jogadores. Bettencourt apelou à calma relativamente ao assunto Moutinho.
E fez muito bem. O presidente teve uma acção louvável. Agora, acredito que o Moutinho, que deu tudo ao Sporting (até muito dinheiro!), vai encontrar um ambiente muito difícil. Pode ser que ele goste tanto desses ambientes quanto eu!
in “ionline.pt”
Anúncios

Sobre pungaro

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/
Esta entrada foi publicada em fc porto, FCP, fernando mendes. ligação permanente.

Uma resposta a Excerto da entrevista de Fernando Mendes ao I

  1. Este Fernando Mendes, conhecido no meio pelo "Escarrador", é um artista, de quem gosto muito.Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s